about

 

‘o risco’ são estímulos criados para os sentidos, para os sentimentos e para o intelecto. são experiências comportamentais, cognitivas e de identificação. Em troca de valores funcionais e antifuncionais.

‘o risco’ are inducements created to senses, feelings and intellect. ‘o risco’ are behavioral, cognitive and identificative experiences. in exchange for functional and antifunctional values.

19/12/12

PESSOAL INTRANSFERÍVEL

escuta, meu chapa: um poeta não se faz com versos. é o risco, é estar sempre a perigo sem medo, é inventar o perigo e estar sempre recriando dificuldades pelo menos maiores, é destruir a linguagem e explodir com ela. nada no bolso e nas mãos. sabendo: é perigoso, divino, maravilhoso. poetar é simples, como dois e dois são quatro e eu sei que a vida vale a pena e etc. difícil é não correr com os versos debaixo do braço. difícil é não cortar o cabelo quando a barra pesa. difícil, pra quem não é poeta, é não trair a sua poesia, que, pensando bem, não é nada, se você está sempre pronto a temer tudo. menos o ridículo de declamar versinhos sorridentes. e sair por aí, ainda por cima sorridente mestre de cerimônias, “herdeiro” da poesia dos que levaram a coisa até o fim e continuam levando, graças a Deus. e fique sabendo: quem não se arrisca não pode berrar. uma citação: leve um homem e um boi ao matadouro. o que berrar mais na hora do perigo é o homem, nem que seja o boi. adeusão.

torquato neto

roberto jaffier
+  rjaffier@gmail.com

logo risco: caramurú baumgartner
http://caramuru.tumblr.com/